O que é Yearn Finance e o token YFI

Что такое Yearn Finance обложка

A Yearn Finance está no Top 10 das plataformas DeFi, em termos de valor atrelado. Seu token de governança, a YFI, marcou um recorde de valorização de 140000%. Com este artigo, você aprenderá sobre o seu protocolo, como ela funciona e se é possível obter lucros.

O que é Yearn Finance

É um ecossistema de diversos protocolos DeFi. O primeiro protocolo é o yearn.finance. Ele está operando desde fevereiro de 2020, e busca gerar dinheiro ao fornecer liquidez a outros projetos DeFi. Em agosto de 2020, os desenvolvedores implementaram o sistema Yearn Vault em seu protocolo.

Ao longo de 2020, a equipe do projeto tem trabalhado na criação do ecossistema Yearn Finance. Eles lançaram diversos projetos em modo de testes, incluindo a corretora descentralizada yTrade e o protocolo yborrow.finance, no qual você pode pegar ou fornecer empréstimos. Enquanto esses projetos estiverem em fase de testes, os desenvolvedores não recomendam sua utilização para fins lucrativos.

Como o yearn.finance funciona

O protocolo yearn.finance já passou pela fase de testes e auditorias técnicas. Nele é possível depositar apenas stablecoins. E quando o usuário deposita recursos, ele recebe yTokens. Por exemplo, se você depositou DAI, você receberá yDAI. Se você depositou USDT, então você receberá yUSDT. Esses tokens são necessários para retirar os fundos do aplicativo, assim como os rendimentos.

Quando você deposita stablecoins no yearn.finance, o protocolo poderá movê-las entre os pools de liquidez de outros projetos DeFi. Com o auxílio de oráculos, o sistema detecta os rendimentos em cada pool de liquidez e move os recursos automaticamente para aqueles com maiores rendimentos.

As cotações das yTokens levam o rendimento em consideração. Vamos tomar como exemplo uma situação em que você depositou 100 DAI e recebeu 100 yDAI. O rendimento pode mudar com cada novo Ethereum bloqueado, de forma que os pools de liquidez costumam calcular um rendimento médio. Suponha que para esse ano o rendimento médio seja de 3% ao ano. Quando você decidir  receber seu rendimento, você devolverá os 100 yDAI ao yearn.finance e, em troca receberá 103 DAI. Isso quer dizer que você receberá o valor depositado somado ao rendimento acumulado durante esse período.

Se quiser experimentar o yearn.finance você pode comprar stablecoins USDT com moeda fiduciária na plataforma Bitzlato.

Como o Yearn Vaults investe os seus recursos

Muitos desenvolvedores de projetos DeFi oferecem incentivos aos provedores de liquidez, não apenas com rendimentos, mas também com a emissão de tokens de governança. Esses tokens dão aos usuários o direito de votar em mudanças de protocolo. Quanto mais tokens uma pessoa tiver, maior o seu poder de influência. Portanto, os tokens de governança têm seu próprio valor. Eles são negociados nas corretoras de criptomoedas e podem ganhar ou perder valor. Por causa desses tokens, o pool de liquidez mais lucrativo não será necessariamente aquele que fornece os maiores rendimentos.

Para rastrear a eficiência real de fornecimento de liquidez, o criador da Yearn Finance, Andre Cronje, criou os Yearn Vaults. Diferentemente do protocolo yearn.finance original, o Vault tem mais opções para trabalhar com os recursos do usuário. Ele pode:

  • prover liquidez a pools de liquidez;
  • coletar tokens de governança como recompensas do fornecimento de liquidez e vendê-las;
  • deixar os fundos do usuário como garantia em outros protocolos e, assim, tomar empréstimos em moedas mais lucrativas.

Cada Vault, ou “cofre”, segue uma estratégia de investimento específica. Uma estratégia é representada por um contrato inteligente que executa uma série de ações com os recursos do usuário. Por exemplo, um usuário depositou stablecoins USDC em um cofre. Ele fornece stablecoins ao pool de liquidez Compound, recebendo rendimentos e tokens de governança em troca. O cofre, então, vende esses tokens na Uniswap e os troca por stablecoins USDC. Ele, então, retorna esse lucro em USDC para o usuário.

Usuários podem propor suas próprias estratégias de investimento e votar em outras estratégias em uma plataforma de comunidade designada. Você precisa ter um token YFI para votar. O criador da estratégia ganha 0.5% das transações de depósito que contenham a função «harvest ()». Essas são as transações que coletam lucros. Assim, usuários com habilidade para escrever códigos de contratos inteligentes também podem ganhar dinheiro criando estratégias de investimento. Simultaneamente, a estratégia não possui escopo temporal. Se alguém propor uma estratégia mais vantajosa e a comunidade apoiá-la, subsequentemente o cofre irá adotá-la. E, se essa estratégia tiver sido feita por outra pessoa, será ela quem passará a receber os 0.5%.

Nos cofres você pode bloquear não somente stablecoins, mas também criptomoedas. Por exemplo, uma estratégia de investimento de um cofre em ETH começa ao se utilizar o MakerDAO. O cofre irá mover seus recursos para o MakerDAO e pegar DAI emprestado. Então, ele irá investir esses DAI de acordo com a estratégia. Por exemplo, ele as moverá para o pool de liquidez com o maior rendimento. Deve-se ter em mente que os empréstimos no MakerDAO são garantidos por colaterais. O cofre deixa seus recursos como colateral, representando um total de 200% do valor do empréstimo. Por exemplo, se você depositou 200 ETH, o cofre só poderá emprestar um valor de 100 ETH em DAI. Por esse motivo, é mais lucrativo depositar stablecoins em um cofre.

Além disso, não se deve esquecer da volatilidade das criptomoedas quando se investe em ETH no Yearn Vault. Se a cotação do ETH cair e o colateral do MakerDAO for abaixo de 150% do empréstimo, então o colateral será vendido. O usuário pode adicionar ETH ou devolver todo ou parte do empréstimo, com juros, para evitar isso. Como o cofre é quem toma o empréstimo, e não o usuário, ele monitora alterações na cotação do ETH e no valor do colateral do empréstimo, de forma independente. Se o colateral estiver a 150% do empréstimo, o contrato inteligente automaticamente devolverá parte das DAI que pegou, de forma a aumentar o montante de colateral.

Caso contrário, a forma com que funcionam os Yearn Vaults é similar ao protocolo principal da Yearn Finance. Você também deposita seus recursos no cofre e recebe yTokens em troca. Quando você devolver as yTokens, você receberá os recursos de volta, mais um rendimento. Se a estratégia do cofre incluir o recebimento de tokens de governança, então o protocolo irá trocá-las pelo recurso depositado. Por exemplo, você depositou ETH, o cofre forneceu seus recursos ao pool de liquidez Compound em troca de rendimentos e tokens COMP. Nesse caso, o cofre irá vender os tokens COMP em troca de ETH. Quando você devolver as yTokens, você receberá o valor total em ETH.

Se você quiser experimentar ganhar dinheiro usando Yearn Vaults, você pode comprar ETH usando moeda fiduciária na plataforma Bitzlato.

Cofres também são usados por outros protocolos do ecossistema Yearn. Por exemplo, o protocolo de seguros yinsure.finance funciona com dois cofres, um que mantém os recursos assegurados e outro que mantém os prêmios de pagamento pelo seguro.

O token YFI como um recurso de investimento

A Yearn Finance ganhou sua popularidade principalmente através da emissão de tokens de governança YFI. Em 2,5 meses os tokens subiram de US$ 90 para US$ 40000, com ganhos de mais de 140000%. O criador do projeto, Andre Cronje, não conseguia explicar tamanho aumento de valor. De acordo com o desenvolvedor, o token foi destinado apenas para votação e não deveria ser considerado um recurso de investimento. Em novembro de 2020, o valor da YFI estava entre US$ 7000 e US$ 14000.

YFI token distribution

Não é mais possível receber tokens YFI para fornecer liquidez. Eles podem apenas ser comprados em plataformas centralizadas ou descentralizadas. A distribuição das tokens YFI aconteceu em julho de 2020, em duas fases. Na primeira, era necessário colocar yTokens nos pools de liquidez da Yearn Finance em conjunto com outros projetos. Na segunda fase, Andre Cronje acrescentou à distribuição mais dois pools de liquidez em conjunto com o projeto Balancer. O projeto distribuiu 10000 tokens a cada um dos pools. A emissão total foi de 30000 tokens, sendo que nenhuma outra distribuição futura está planejada.

Resumo

Yearn Finance é um ecossistema de múltiplos protocolos DeFi que oferecem diversas oportunidades de ganhos:

  • usuários podem depositar stablecoins no protocolo yearn.finance, e ele as moverá automaticamente para os pools de liquidez com o maior rendimento;
  • usuários podem depositar criptomoedas ou stablecoins nos Yearn Vaults. Ali coletam não apenas os rendimentos, mas também tokens de governança;
  • usuários com habilidade para escrever códigos de contratos inteligentes podem escrever estratégias de investimento para os cofres. Se a comunidade apoiar a iniciativa, seu criador receberá 0.5% das transações que coletam lucros.

Se quiser conferir o yearn.finance por si próprio, você pode comprar stablecoins USDT ou criptomoedas ETH com moeda fiduciária, na plataforma Bitzlato.

Stablecoins: O que são e quais as vantagens de utilizá-las?

how stablecoins preserve assets

Stablecoins possuem um papel importante na indústria de criptomoedas. Nesse artigo, explicaremos o que são stablecoins e daremos exemplos de como usá-las em benefício próprio.

O que é Stablecoin?

Elas são criptomoedas que têm o seu valor atrelado ao valor de um recurso do mundo real, como moedas fiduciárias, metais preciosos ou petróleo. Existem stablecoins, por exemplo, que são atreladas ao dólar americano, ao euro, à libra esterlina e ao rublo.

Examples of stablecoins

Stablecoins podem ser subdivididas em duas categorias. A primeira delas é a centralizada. Stablecoins desse tipo são produzidas por empresas específicas. Elas provêm valor estável à criptomoeda através da presença de moeda fiduciária na conta da empresa. A companhia Tether, por exemplo, produz as stablecoins USDT e as provê com dólares americanos de suas contas. Empresas assim mantêm relatórios rigorosos destinados às autoridades regulamentadoras, e podem bloquear as carteiras de usuários de stablecoin sob ordem judicial. Outros exemplos de stablecoins centralizadas são o consórcio USDC da CENTRE, o BUSD da Binance e o EURS da Stasis.

Centralized and decentralized stablecoins

A segunda categoria é a das stablecoins descentralizadas. Elas são produzidas através de contratos inteligentes e contam com um colateral em criptomoedas e algoritmos de contratos inteligentes. A vantagem de stablecoins descentralizadas é que elas não possuem uma empresa proprietária – elas não podem ser bloqueadas remotamente. Elas também podem funcionar em diferentes sites criptográficos, sendo limitadas à blockchain em que o contrato inteligente estiver localizado. Por exemplo, stablecoins DAI funcionam apenas em projetos da blockchain Ethereum, e as stablecoins USDJ, em projetos da blockchain TRON. 

Empréstimos de stablecoins

Essa é uma das maneiras de se ganhar dinheiro através de stablecoins. Existe uma tendência ao DeFi na indústria. Ela consiste de aplicativos com funcionalidades similares a ferramentas bancárias tradicionais. Uma dessas ferramentas é o crédito. Alguns aplicativos DeFi fornecem empréstimos em stablecoins. Por exemplo, a MakerDAO fornece empréstimos em stablecoins em dólar americano, DAI, e a MonolithosDAO fornece empréstimos na stablecoin do rublo russo, MCR.

Vejamos um exemplo da MonolithosDAO. Se você deseja adquirir crédito em stablecoins MCR, você precisa fazer um depósito em ETH ou WBTC. O montante de colateral precisa ser maior do que o total do empréstimo, com ao menos 25% de folga. Vamos considerar uma situação em que você deseja fazer um empréstimo de 1000 MCR. Você precisará deixar um depósito em criptomoedas no valor equivalente a, pelo menos, 1250 rublos na cotação do momento. É recomendado deixar um depósito de mais de 125% do valor do empréstimo, para proteger o colateral da volatilidade da criptomoeda. Se a cotação cair e seu colateral for abaixo de 125%, ele será vendido em leilão e será deduzida 4% referente a taxa de estabilização e 7% referente a comissão de liquidação. O restante retornará para sua carteira.

Digamos que você esteja esperando que a cotação do ETH irá subir, e você pegue crédito em MCR com lastro no seu ETH:

  • Se a cotação aumentar, o valor do depósito no contrato inteligente também aumentará
  • Se a cotação diminuir, o valor do colateral também diminuirá. Mas as stablecoins MCR manterão o valor
  • Se a cotação cair abaixo do valor de liquidação, o colateral será vendido e as taxas de liquidação e estabilização serão subtraídas dele. Mas você ainda terá as stablecoins MCR, que não foram afetadas de forma alguma pela queda do ETH.
What happens to the collateral and stablecoins in the event of an increase or decrease in the ETH rate

Você também pode usar crédito em stablecoins como alavancagem para comprar mais criptomoedas. Por exemplo, você deixou um depósito em ETH e pegou um empréstimo em MCR. Então você comprou mais ETH usando o MCR. Se o ETH subir, você ganhará um lucro maior do que teria sem a alavancagem. Supondo que você pegou um empréstimo de 10000 MCR ao custo de 0.42 ETH em cotação de 30000 rublos: com os 10000 MCR, você compra outros 0.33 ETH adicionais. Imagine que a cotação do ETH aumente para 35000 rublos:

  • Sem alavancagem, os seus 0.42 ETH vão aumentar de valor em 2100 rublos
  • Com alavancagem, você terá 0.75 ETH. Levando em conta a taxa de estabilização de 4%, seu lucro será de 3250 rublos.

Usar alavancagem aumenta não somente os lucros, em caso de subida da cotação da criptomoeda, mas também os prejuízos em caso de queda.

Conversão de criptomoedas em stablecoins

A conversão de criptomoedas em stablecoins tem duas aplicações. A primeira é a fixação de portfólios. Por exemplo, você negocia Bitcoins e ganha com a diferença de preço durante a operação. Você encerra as negociações do dia e não está seguro de que a cotação do Bitcoin não irá cair. Você, então, converte 1 BTC em stablecoin USDT, e o valor dos seus recursos será mantido. Quando você voltar a negociar, você os converterá de volta a uma nova cotação. Se o valor do Bitcoin cair, você ganhará mais Bitcoins do que o que tinha. E se ele aumentar, você ganhará menos Bitcoins. De qualquer forma, o valor de seus recursos em moeda fiduciária permanecerá o mesmo.

A segunda razão para se converter moedas em stablecoins é para ganhar dinheiro com criptomoedas em queda. Por exemplo, você espera que a cotação do Bitcoin vá cair. Suponha que você converteu 1 BTC em 11000 USDT, e agora imagina que a cotação cairá. Quando ela cair de $11000 para $10000, você converte 11000 USDT de volta e ganha 1.1 BTC. Quando a cotação subir novamente, o valor de seus recursos também aumentará.

Ferramenta especial na Bitzlato

Os bots do Telegram, ou Telegram-bots, da Bitzlato têm uma ferramenta específica chamada “2monolith”. Com ela você pode converter criptomoedas instantaneamente em stablecoins, à taxa de câmbio da Bitzlato. A ferramenta faz com que você não precise entrar na corretora, pois tudo acontece através do bot. Você poderá converter as stablecoins de volta a criptomoedas à taxa em vigor.

Como exemplo, nós mostraremos como converter BTC em USDT no Telegram-bot @BTC_CHANGE_BOT:

  1. No menu principal do bot do Telegram, clique no botão “2monolith”.
  2. O bot lhe enviará ao menu de execução. Escolha para qual stablecoin deseja converter os recursos. Por exemplo, a USDT.
  3. Selecione o valor que deseja converter, ou digite manualmente. Por exemplo, 0.001 BTC.
  4. O bot irá pedir para que você escolha a forma através da qual a conversão acontecerá.
  5. O bot vai escrever o valor que você receberá em stablecoins e a forma de execução da conversão. Clique em “Sim” para confirmar a conversão.
  6. O bot escreverá que a ordem será colocada na corretora por alguns segundos. Quando ela for executada, o número de stablecoins que você selecionou aparecerá na sua carteira. A criptomoeda que você está convertendo será bloqueada até que a ordem seja executada.

Conclusão

Stablecoins são criptomoedas com um valor equivalente ao de um recurso do mundo real, por exemplo o dólar americano ou o rublo russo. Existem stablecoins centralizadas e descentralizadas. As centralizadas são emitidas por empresas, que fornecem recursos reais em suas contas. Companhias descentralizadas emitem contratos inteligentes e provêm recursos em criptomoedas bloqueados em um contrato inteligente.

As stablecoins dão duas vantagens aos usuários:

  1. A possibilidade de fixar o valor de seus recursos em moeda fiduciária. Nesse caso, você não precisa se preocupar com a queda das cotações.
  2. A capacidade de lucrar com a subida ou queda da cotação das criptomoedas. Você pode lucrar na subida através de empréstimos em stablecoins, e pode ganhar na queda com a função “2monolith” dos Telegram-bots Bitzlato.

Na plataforma Bitzlato você pode comprar MCR, a stablecoin descentralizada vinculada ao rublo, ou a criptomoeda ETH, com a qual você pode adquirir crédito em stablecoins.

O que é empréstimo P2P de criptomoedas

Neste artigo falaremos sobre o empréstimo P2P de criptomoedas. Explicaremos esse tipo de empréstimo e como ele difere do empréstimo convencional.

Os empréstimos P2P não são emitidos por uma pessoa jurídica. Em vez de um banco ou instituição financeira, o empréstimo é concedido por um indivíduo. E a plataforma de empréstimo P2P atua apenas como um intermediário entre o credor e o devedor: ela define as regras e monitora a observância dessas regras.

Tipos de empréstimo P2P

A principal diferença entre empréstimos P2P e empréstimos convencionais é que o credor e o devedor são equivalentes. São usuários comuns que realizam transações entre si. O empréstimo P2P pode funcionar de acordo com regras diferentes, dependendo da moeda do empréstimo. Pode ser dividido em empréstimos P2P para moedas fiduciárias e em empréstimos P2P para criptomoedas.

Empréstimos P2P para moedas fiduciárias: análogo aos empréstimos bancários. Para receber esses empréstimos você não precisa colocar algo como garantia, mas precisará passar por um processo de verificação. A plataforma de empréstimos P2P atua como intermediária e auxilia o credor a cobrar a dívida do devedor em caso de suspensão de pagamentos. Mais especificamente, a plataforma P2P coopera com empresas de reintegração de posse e fornece suporte jurídico ao credor em tribunal.

Empréstimos P2P para criptomoedas: os empréstimos para criptomoedas precisam ser assegurados com garantias. Para tomar um empréstimo você precisa deixar uma garantia em criptomoeda, cujo valor excederá o valor do empréstimo. Se o mutuário parar de pagar, a plataforma pegará a dívida e os juros da garantia e reembolsará ao credor. Portanto, o credor terá um seguro contra inadimplência. Se a taxa da criptomoeda colateral em relação à moeda do empréstimo cair, a plataforma de empréstimo informará tanto o credor quanto o devedor sobre isso. Outras ações dependerão das regras da plataforma de empréstimo P2P específica: por exemplo, o mutuário pode ter a oportunidade de aumentar o valor da garantia ou devolver parte do empréstimo. Essas plataformas armazenam os fundos do usuário de forma centralizada. Quando um mutuário toma um empréstimo ele pega os fundos da conta do credor diretamente, e não de uma conta geral. Como as plataformas de empréstimos P2P têm acesso técnico aos fundos dos usuários, a reputação dessas plataformas é um fator importante para empréstimos P2P de criptomoedas.

Empréstimos garantidos por criptomoeda em projetos DeFi: empréstimos deverão ser assegurados por garantias. Os credores enviam fundos para um contrato inteligente, do qual os mutuários retiram os fundos. Existe um contrato inteligente separado para cada criptomoeda que é usado por todos os credores e devedores dessa moeda. Como o processo de empréstimo do DeFi é totalmente automatizado, as auditorias técnicas de contratos inteligentes serão importantes para esses projetos DeFi.

Benefícios do empréstimo P2P de criptomoedas

Benefícios para o credor:

  • A possibilidade de investir em criptomoedas com condições flexíveis: por exemplo, você pode definir a taxa de juros e o período para o qual você emite um empréstimo.
  • Garantia de devolução do dinheiro: o devedor devolverá a dívida com juros ou você receberá o valor com os juros da garantia.

Benefícios para o devedor:

  • A capacidade de usar criptomoedas como garantia. Se você tiver ativos em criptomoeda e precisar de dinheiro, poderá deixar a criptomoeda como garantia e fazer um empréstimo em stablecoins. Em seguida, você pode trocar stablecoins por moeda fiduciária e usá-la como desejar. Nesse intervalo você não precisa vender criptomoedas.
  • Procedimento simplificado para obtenção de empréstimo. Basta acessar o site e se cadastrar para fazer um empréstimo. Em algumas plataformas de empréstimo P2P será necessário passar por um processo de verificação, mas você não precisa ir ao banco, esperar em filas, fornecer seu histórico de crédito e demonstrativos de resultados.
  • Escolha das condições do empréstimo: se houver vários anúncios de diferentes credores, você pode escolher o empréstimo que melhor se adapta a suas condições.

Resumo

O empréstimo P2P é um tipo de empréstimo em que os credores e devedores são pessoas físicas. A plataforma atua como um intermediário que conecta credores e devedores entre si, define regras de empréstimo e monitora sua implementação.

Os credores têm acesso a um recurso de investimento adicional, tendo criptomoedas com garantia de devolução do dinheiro. Os devedores podem usar a criptomoeda para obter um empréstimo sem precisar vendê-las.

O que é DAO

Nesse artigo, falaremos sobre DAO – um tipo de protocolo de governança nas blockchains. Explicaremos como o DAO funciona, dando exemplos dessas organizações.

O que é DAO

DAO significa Organização Autônoma Descentralizada. É a tecnologia utilizada em apps nas blockchains. Através do DAO, projetos podem ser executados de forma autônoma e ser gerenciados pela comunidade. Os criadores apenas determinam as regras iniciais e publicam o aplicativo. Após o lançamento, eles não podem mais influenciá-lo. O DAO emite tokens especiais aos usuários, sendo que os detentores dessas tokens podem propor mudanças no aplicativo ou votar nas propostas de outros usuários. Por exemplo, usuários podem votar em uma nova interface, numa mudança no valor de taxas, ou para a correção de um bug.

DAOS podem gerenciar seu capital de forma independente, sendo ativamente utilizados no ecossistema de finanças descentralizadas. Essa forma de governança aumenta a transparência do funcionamento e o nível de confiança no projeto. O código DAO é aberto, podendo ser consultado no GitHub. Usuários com conhecimentos em programação podem revisá-lo por si mesmos. Assim, qualquer pessoa que envie uma alta soma em dinheiro, através de um controle por DAO, poderá saber como o protocolo gerencia a transação.

Em 2020, DAOS não são regidos por lei em países que possuem legislação sobre criptomoedas. Apenas as empresas que desenvolvem esses aplicativos têm força legal, não os projetos em si. Porém, existem tentativas de se criar um DAO que governará todas as ações dos outros DAOs. Até o momento, essa regulamentação é feita através de cortes descentralizadas. Por exemplo, a Aragon criou sua Jurisdição da Rede Aragon descentralizada. Se algum projeto adentrar essa jurisdição, ele concordará em obedecer a algumas regras. A Aragon aplica essas regras através de contratos inteligentes. No caso de haver alguma disputa, a resolução será feita na Corte Aragon descentralizada. O sistema escolhe 5 juízes aleatoriamente entre voluntários, que tomarão uma decisão.

Como o DAO funciona

DAO é um contrato inteligente complexo que consegue gerenciar contratos inteligentes simples. Como ele funciona na blockchain, sua ação envolve transações com criptomoedas. Essas transações são automatizadas por contratos inteligentes, e para automatizar os próprios contratos, os protocolos utilizam DAOs.

A característica mais marcante dos DAOs é o sistema de governança. Os criadores não possuem nenhuma influência no projeto, posteriormente ao lançamento. Qualquer mudança só pode ser feita através de votação, que requer tokens de governança especiais. Essas tokens podem ser obtidas ao se utilizar as funções básicas dos apps. Por exemplo, os usuários podem obtê-las em troca de fornecimento de liquidez e pegando ou fornecendo empréstimos. Em outras palavras, o aplicativo pode ser influenciado por quem o utiliza. Mas tokens de governança têm seu próprio valor, podendo ser trazidas e negociadas em corretoras de criptomoedas.

Façamos uma analogia com sociedades por ações. Essas empresas são gerenciadas por uma mesa de diretores. Os acionistas podem votar nas decisões, e ações podem ser compradas ou recebidas ao se trabalhar na empresa. No caso das DAOs, uma token de governança é emitida, ao invés de uma ação. E ao invés de uma mesa de diretores, temos os donos dessas tokens. Uma diferença importante é que as ações não dão apenas direito a voto, mas também direito a participação nos lucros. Mesmo possuindo valor, as tokens de governança são voltadas apenas para votação.

Exemplos de DAO

DAO foi a primeira organização autônoma descentralizada que surgiu, em 2016. É análoga a fundos de investimento: usuários podem enviar dinheiro ao contrato inteligente da DAO e receber tokens de governança em troca. Com essas tokens, eles são capazes de votar em como a DAO irá investir o dinheiro. Ainda em 2016, hackers encontraram um erro no código do projeto e o usaram para enviar dinheiro a suas carteiras.

O MakerDAO é análogo a um banco. Nessa DAO, você pode pegar um empréstimo em stablecoins DAI. Esse empréstimo fica assegurado em criptomoedas. Os usuários podem votar com as tokens de governança, em termos de quais tipos de empréstimos serão emitidos. Por exemplo, eles podem escolher o tamanho da taxa de juros e da taxa de liquidação.

Resumo

DAO é uma organização autônoma descentralizada. É uma forma de governança usada em protocolos de finanças descentralizadas.

A peculiaridade dessa forma de governança está no funcionamento autônomo. Os desenvolvedores criam um protocolo, que funciona independentemente após o lançamento. Após esse momento, eles não possuem mais a capacidade técnica de influenciar o projeto.

Mudar as regras de DAO ou corrigir os erros do código de DAO somente é possível por votação. Apenas proprietários de tokens de governança podem votar. Esses tokens podem ser obtidos tanto com o uso das principais funções do app, ou comprados nas plataformas de criptomoeda.

Por que as transações de criptomoeda demoram muito para serem processadas?

Usuários de criptomoedas provavelmente já se depararam com transações que levaram mais de uma hora para serem executadas. Nesse artigo nós explicaremos por que transações em criptomoedas podem ter um longo tempo de processamento, o que determina essa velocidade e como acelerar as transações.

Como a blockchain afeta a velocidade de transação

Todas as criptomoedas são fundamentadas na tecnologia blockchain. Cada moeda tem sua própria blockchain, de forma que a velocidade diferirá para diferentes criptomoedas. Essa tecnologia tem 2 parâmetros que influenciam no tempo de transação:

  • Tempo de geração de um novo bloco.
    As transações com criptomoedas só são completadas quando as informações são gravadas em um novo bloco na blockchain. Quanto mais rápida for a geração de blocos, maior a velocidade de transação.
  • Relação entre tamanho do bloco e tamanho da transação.
    Quanto mais transações uma blockchain puder gravar em um único bloco, mais rápido será o processamento das transações de todos os usuários.

Por exemplo, o tempo médio para a criação de um bloco Bitcoin é de 10 minutos. Ou seja, a transação não será concluída em menos de 10 minutos. Se houver muitas transações, o tempo de confirmação aumentará. Na blockchain Ethereum, o tempo médio de geração de blocos é de 13 a 15 segundos.

 O Dash é voltado para compras do dia-a-dia, de forma que os desenvolvedores já previram o problema relacionado ao tempo de geração de blocos. Essa blockchain gera blocos novos a cada 2,5 minutos, mas só leva 1 segundo para completar a transação. Para isso, a blockchain não precisa esperar até que as transações sejam incluídas em um novo bloco, é suficiente que ela seja confirmada pelos mineradores.

Como as taxas afetam a velocidade de transação

As transações em criptomoedas só são completadas após a validação por parte dos mineradores. Sem essa confirmação, as transações não podem ser incluídas em um bloco. O tamanho do bloco é limitado, e há situações em que temos mais usuários interessados do que a capacidade do bloco pode acomodar a demanda. Há uma fila para a checagem e validação dessas transações, sendo que a posição nessa fila depende da taxa que o usuário pagou pela transação. Quanto mais alta a taxa, mais rapidamente os mineradores irão validá-la.

A taxa por transação é dinâmica e varia junto com a demanda atual da rede blockchain. Quanto mais usuários fizerem transações, maiores serão as filas e os valores das taxas. Assim sendo, é impossível informarmos um único valor de taxa, que seja sempre válido.

Você pode consultar o valor vigente da taxa no website blockchain explorer da criptomoeda que deseja utilizar. Por exemplo, você pode ver a taxa recomendada para transações em Bitcoin aqui. Dependendo da taxa, a transação poderá levar entre 10 minutos e vários dias. Em novembro de 2020, as taxas para Bitcoin variam entre U$0.2 e U$11.2.

Os desenvolvedores da blockchain Ethereum criaram uma unidade de medida unicamente para taxas de transação, chamada de “gás”. Você pode consultar as taxas atuais na página dedicada do explorer da blockchain Ethereum. Há três opções de taxas de transação: baixa, média e alta, junto com as velocidades de transação para cada uma. Para uma maior conveniência do usuário, o custo do gás é dado em dólares americanos. Também existe uma escala, onde você mesmo pode especificar a taxa e consultar quanto tempo a transação levará. Em novembro de 2020, a taxa de transação média em Ethereum está entre U$0.9 e U$2.3.

Transações em Dash são cobradas em uma unidade separada, chamada Duff. A taxa média para transações Dash em novembro de 2020 está entre U$0.002 e U$0.003.

A maioria das carteiras de criptomoedas especifica uma taxa de transação média. Se sua prioridade for a velocidade de transação, você precisará ajustar a taxa manualmente para algo acima do valor médio. Caso sua prioridade seja economia, o correto é selecionar uma taxa abaixo da média.

Se você sacar criptomoedas da sua carteira da plataforma Bitzlato para uma carteira externa, então a transação será confirmada pela rede em cerca de 10 a 15 minutos. Saques da carteira Bitzlato são feitos por um endereço coletivo, de a forma a se reduzirem as taxas de transação. O valor dessa taxa pode variar de acordo com a demanda da rede, para cada criptomoeda específica. Você pode consultar os valores atuais na página de estatísticas da carteira, ou no menu de saques.

Resumo

A velocidade de processamento de uma transação em criptomoedas depende:

  • da criptomoeda que você está transferindo. Blockchains de diferentes moedas geram novos blocos a velocidades diferentes;
  • das taxas de transação. Se você quer que sua transação seja executada mais rápido, você precisa consultar a taxa de transação média no site blockchain explorer, ajustando um valor adequado em seguida.
  • da demanda na rede blockchain. Isso afeta diretamente o valor da taxa de transação. Quanto mais pessoas fazem transações, maiores são a demanda e as taxas.

Lucky monday

Como forma de incentivar e premiar nossos usuários por cada vez mais utilizarem e confiarem na plataforma, a Bitzlato está lançando uma nova promoção que vai premiar tanto os compradores quanto o maior vendedor da semana. 

A promoção vai distribuir prêmios toda segunda-feira e os prêmios estarão relacionados com a semana anterior. Os usuários que participarem de uma das atividades premiadas na semana anterior irá concorrer ao prêmio na próxima Segunda-Feira, o que dá aos usuários uma semana inteira para aumentarem suas chances de ganhar e as formas de se participar da promoção são:

Para iniciadores

Para participar como um iniciador basta que você responda a um anúncio existente (o valor mínimo do anúncio deve ser de pelo menos $10) durante a semana. Mais negócios, mais chances de ganhar. Uma única negociação no valor mínimo ou qualquer valor acima já garante a sua participação no concurso. 

Na Segunda-Feira vamos aleatoriamente escolher 3 (três) trades e eles serão premiados com:

  1. $50 para o primeiro sorteado.
  2. $35 para o segundo sorteado.
  3. $15 para o terceiro sorteado

A outra forma de participar é como trader. 

Maior trader da semana.

Serão dados $100 ao trader (a pessoa que cria o anúncio) que tiver a maior movimentação durante a semana. Na Segunda-Feira vamos verificar todos os traders e o que tiver uma movimentação total superior a $100 vai receber um prêmio de $100. Essa é uma competição de trader contra trader e ganha o que tiver a maior movimentação portanto convide seus amigos e traga bastante usuários pois quanto mais você vender, maiores são as suas chances de ser premiado.

Ou seja.

Tanto comprando quanto vendendo ou mesmo em nossos sorteios em nosso Twitter, com a Bitzlato as suas chances de ganhar são sempre altas e você sempre tem uma chance de ganhar, seja negociando (como comprador ou vendedor) ou seja engajado em nossas redes sociais.